fbpx

Nosso reconhecimento ao ilustre General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos e sua missão relevante na ativa José Ananias Duarte Frota – Cel BM R1 (ESG-CAEPE)

Nosso reconhecimento ao ilustre General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos e sua missão relevante na ativa José Ananias Duarte Frota – Cel BM R1 (ESG-CAEPE)


Nosso reconhecimento ao ilustre General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos e sua missão relevante na ativa.

José Ananias Duarte Frota – Cel BM R1 (ESG-CAEPE)


 

 

Comandante Vianney Junior (Instituto CTEM +), Gen Div Cunha Mattos e Cel Duarte Frota no comando 10ª RM, Região “Martins Soares Moreno”.

Este mês de julho o ilustre General de Divisão Fernando José Soares da Cunha Mattos, Comandante da renomada 10ª RM, Região “Martins Soares Moreno” ingressa na reserva remunerada.

Este brilhante oficial, nasceu no estado do Rio de Janeiro, presente nas fileiras do Exército desde 1979, oriundo da arma de Artilharia, da turma de 1982 da Academia Militar das Agulhas Negras. Em sua carreira comandou a 10º Brigada de Infantaria Motorizada, a Artilharia Divisionária, Comando de Artilharia do Exército, Subchefe de Política e Estratégia do Estado Maior de Exército, Chefe da Assessoria Especial de Planejamento do Ministério da Defesa, em Brasília. No exterior, foi observador militar das Nações Unidas em Uganda-Ruanda e, ainda, Chefe de Comunicação Social e Assuntos Civis na Missão de Paz no Haiti. Formado nos cursos de Política e Estratégia Aeroespaciais na Aeronáutica e o Canadian Security Studies Program no Canadá atestam sua competência intelectual e na gestão administrativa.

Além de suas funções convencionais da Força Terrestre General Cunha Mattos coordenou no Ceará a operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Estado. A GLO foi acionada por decreto presidencial, a pedido do governo do Estado, diante do motim de policiais militares e bombeiros no Ceará.

Na ocorrência do Edifício Andrea em Fortaleza desmoronado na terça-feira, 15 de outubro de 2019, General Cunha Mattos executou com sua tropa ações subsidiárias de defesa civil. Nessa tragédia foram registradas 09 (nove) vítimas fatais e 07(sete) socorridas com vida. Com sua eficiência laborou com sua tropa, o apoio prestado por 50 (cinquenta) militares com fornecimento de almoço e jantar para mais de 150 (cento e cinquenta) pessoas, servidos próximo ao local das buscas. Este relevante serviço logístico foi suporte para os Bombeiros Militares, SAMU, Polícia Militar, Polícia Civil, Perícia Forense, Defesa Civil, Guarda Municipal de Fortaleza, Autarquia Trânsito de Fortaleza entre outros órgãos e voluntários envolvidos diretamente na operação. Além das refeições também foram montadas 30(trinta) camas de campanha.

Concretizou fielmente a organização, preparo e emprego das Forças Armadas, neste triste episódio com base na Lei Complementar n° 97/99 a qual expressamente autorizou o emprego da 10ª RM, Região “Martins Soares Moreno” nas chamadas “atribuições subsidiárias”. Estas “atribuições subsidiárias” estão baseadas na Diretriz Ministerial nº 04/2001, de 29 de junho de 2001, abordando a regulamentação sobre o “Emprego das Forças Armadas em Defesa Civil, de acordo com o Decreto nº 3.466, de 17 de maio de 2000.

Na 10ª RM, Região “Martins Soares Moreno”, General Cunha Mattos sempre renovou a cultura do Ceará ampliando com Termo de Cooperação entre Exército e Prefeitura de Fortaleza o Museu Brigadeiro Antônio de Sampaio, que é aberto ao público, e abriga também o Espaço Brigadeiro Tibúrcio, construído em 2010. Neste memorial local em Fortaleza, no Panteão do Brigadeiro Antônio de Sampaio, no busto em frente ao aquartelamento é enaltecido o Patrono da “Rainha das Armas”, natural da cidade de Tamboril, pelo Decreto 51.429, de 13 de março de 1962. A legião da Infantaria da “Terra da Luz” através de seu presidente General de Divisão R1 Júlio Lima Verde Campos de Oliveira mantém viva a homenagem à Sampaio no Parque Histórico Brigadeiro Sampaio.

Cerca de 16 mil pessoas, por ano, visitam a 10ª RM, que oferece ainda outros dois pontos de visitação: a Praça dos Canhões, no Mirante da Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção, e o túnel onde acreditam ter sido presa Bárbara de Alencar. O local guarda memórias sobre os heróis cearenses durante a Guerra do Paraguai. O acervo do museu conta com fotos, placas e imagens, como a de Nossa Senhora da Assunção, trazida à Capitania do Ceará em 1654.

Segundo a Escola Superior de Guerra a “Expressão Psicossocial do Poder Nacional é a manifestação de natureza predominantemente psicológica e social do Poder Nacional, que contribui para alcançar e manter os Objetivos Nacionais”. Nesta ação estratégica do General Cunha Mattos ele edifica os processos socioculturais para produzir em sua administração, a amplitude na “Expressão Psicossocial”, germinando personalidades livres, sadias, cooperativas, construtivas objetivando à manutenção dos valores e pelos padrões ideais ligados à sociedade.

Esteve conosco apoiando a Delegacia Regional da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra na Terra da Luz, no Curso de Introdução a Atividade de Inteligência (CIAI) e revendo um amigo palestrante General Luiz Eduardo de Rocha Paiva bem como colaborando com o Instituto CTEM + na área de tecnologia e defesa nacional.

Neste período de comando, o General de Divisão Cunha Mattos, com sua autoridade solidificou a responsabilidade para administrar os recursos disponíveis e por planejar o emprego operacional, organizando, dirigindo, coordenando e controlando as forças militares para a realização das missões nomeadas. Também incluiu responsabilidade para a saúde, o bem-estar, o moral e a disciplina da tropa.

Nesta administração ele sempre exerceu a liderança, “a arte de motivar as pessoas para um objetivo comum”. Liderança é a qualidade motriz de comando, enquanto instala coesão de unidade e senso de propósito. É o catalisador que inspira esforço, coragem e compromisso. Liderança foi a base de comando efetivo na 10ª RM, Região “Martins Soares Moreno”. Agregou em sua segura gestão, órgãos governamentais e não governamentais para ações estratégicas em prol do Bem Comum e no fortalecimento do Poder Nacional.

Concluímos que como Artilheiro, podemos saudá-lo com o lema do brasão da família do Patrono da Artilharia do Exército Brasileiro, o Marechal Émile Louis Mallet: “Ma Force D’en Haut” (“Minha força vem do alto”). Que nos momentos difíceis da vida, em que precisamos ajustar os fogos com precisão para a vitória sobre a diversidade, lembremos que a nossa força vem do alto!

Nossas continências, fidalgo Artilheiro da Forca Terrestre e que nosso Senhor dos Exércitos, a luz do mundo o guie para novos e produtivos cenários.

*Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia da Escola Superior de Guerra, Representante da Defesa Civil Nacional no Comitê Executivo de formatação do SINAMOB, Delegado da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra, Diretor de Inteligência e Estudos Estratégicos do Instituto CTEM+ e Membro do Conselho Nacional de Proteção e Defesa Civil.

Receba nossas notícias em tempo real pelos aplicativos de mensagem abaixo:

 

Caso deseje conversar com outros usuários escolha um dos aplicativos abaixo:

Assine nossa Newsletter

Receba todo final de tarde as últimas notícias do DefesaTV em seu e-mail



Fonte

LEAVE A COMMENT

Your email address will not be published. Required fields are marked *